Paralisação ACE e ACS – Categoria garante algumas reivindicações mas mantém paralisação desta quarta e assembleia com indicativo de greve para o dia 01

Os Agentes de Combate às Endemias (ACE) e Agentes Comunitários de Saúde (ACS) de Campina Grande, paralisados desde esta segunda-feira, 19, conseguiram na manhã desta terça, 20, algumas promessas por parte da gestão municipal. Os compromissos foram assumidos após manifestação das categorias na frente do gabinete do prefeito Romero Rodrigues, que convocou representantes dos trabalhadores para uma reunião imediata no Instituto de Previdência dos Servidores Municipais (Ipsem).

A direção do Sindicato dos Trabalhadores Públicos Municipais do Agreste e da Borborema (Sintab) e dois representantes de cada função participaram da reunião. Na ocasião o prefeito Romero e a secretária de Saúde Luzia Pinto anunciaram a entrega do fardamento e demais equipamentos de proteção individual (EPI), como protetor solar, na próxima sexta-feira, 23.

Com relação ao reajuste da data base, que deveria ter sido efetuado em janeiro, Romero anunciou que somente em maio poderá efetivá-lo. Já sobre o enquadramento no PCCR tanto pelo tempo de serviço como por titulações e capacitação, a secretária Luzia Pinto solicitou prazo até 20 de março, para levantar o impacto financeiro.

O vice-presidente do Sintab, Giovanni Freire, parabenizou os trabalhadores pelo movimento, salientou que é preciso cautela diante das promessas e informou que a paralisação está mantida até esta quarta, 21. “A assembleia do próximo dia 01 de março também está mantida. O indicativo de greve permanece até porque qualquer definição só pode ser dada em assembleia, que é soberana”, completou.

O diretor de Comunicação do sindicato, Napoleão Maracajá, lembrou que a gestão não respeita o trabalhador. “A Prefeitura alega que não há receita, mas farra com o dinheiro público, como a acomodação de agentes políticos de outros municípios”, frisou.

Compartilhar:

Veja Mais