Servidores de Campina podem entrar em greve por tempo indeterminado

Os servidores de Campina Grande, de todas as categorias, protestaram mais uma vez contra a lei 7.179/2019, que permite a concessão dos serviços públicos de Campina Grande a parcerias público-privadas. Desta vez a mobilização aconteceu na Praça da Bandeira, na manhã desta quinta-feira, 11, novamente sob a coordenação do Sindicato dos Trabalhadores Públicos Municipais do Agreste e da Borborema (Sintab). Os trabalhadores poderão entrar em greve por tempo indeterminado, caso a lei não seja revogada.

Conforme lembrou o presidente do Sintab, Giovanni Freire, já houve inúmeras tentativas de chamar atenção da Câmara de Vereadores e do próprio prefeito Romero Rodrigues, para que haja diálogo e negociação com os efetivos, mas estes seguem sendo ignorados pela gestão. “Nós, enquanto servidores, viemos à Praça, para chamar a atenção da população.  Essa paralisação do dia hoje é para que o povo tome ciência desta lei, que na prática é a venda, é a entrega de todos os serviços públicos da cidade a empresas privadas. Estamos aqui para exigir que haja a revogação desta lei e caso o prefeito não revogue, poderemos deflagrar no município de Campina Grande, uma greve por tempo indeterminado”, reforçou o presidente.

Para o diretor de Política e Formação Sindical da entidade, Franklyn Barbosa, “essa lei tira do prefeito a atribuição pela qual ele foi eleito, que é gerir todos os setores públicos municipais, ao mesmo tempo, os próprios vereadores se eximem da responsabilidade de fiscalizar o prefeito. A administração pública tem que priorizar o bem-estar social e as empresas privadas se preocupam tão somente com o lucro, e muitas vezes para lucrar sacrificam o povo”.

Também foram pautas dos trabalhadores durante a mobilização a defesa do novo Fundeb e a luta contra a reforma da Previdência.

Compartilhar:

Veja Mais