Sintab entra com ações para suspensão do pagamento dos empréstimos consignados nos contracheques dos servidores de Campina

O Sindicato dos Trabalhadores Públicos Municipais do Agreste e Borborema (Sintab) protocolou nesta quarta-feira, 13, ação judicial para tentar obrigar os bancos que possuem convênio com a Prefeitura Municipal de Campina Grade (PMCG) a suspenderem por quatro meses, o pagamento dos empréstimos consignados nos contracheques dos servidores do município, em decorrência dos efeitos da pandemia do coronavírus – Covid-19.

A ação foi protocolada na 1ª Vara Cível, contra o Banco Bradesco, Banco Olé e Banco do Brasil (BB). A entidade já tinha entrado com ação na 6ª Vara Federal, em face da Caixa Econômica (CE) no dia 24 de abril.

“Agora precisamos aguardar o juiz responsável se pronunciar acerca da tutela e urgência que estamos pleiteando”, explicou o presidente do Sintab, Giovanni Freire.

No texto das ações, o Sintab destaca que “embora os servidores públicos municipais não tenham sido atingidos diretamente em suas remunerações, estes têm se tornando a única ou principal fonte de renda de suas famílias, por suportarem desemprego, não atuação de serviços não essenciais dos seus parentes, tornando- se extremamente difícil ou impossível, o pagamento das despesas ordinárias”.

Por esta razão principal, o sindicato solicita, através da demanda judicial, que “seja suspenso, a título de tutela de urgência, o pagamento dos empréstimos consignados dos servidores públicos de Campina Grande por parte dos bancos conveniados, sem que a medida acarrete a cobrança de juros e multa”.

O presidente Giovanni Freire, esclareceu que antes mesmo de demandar judicialmente, o sindicato já havia protocolado ofício solicitando à Prefeitura Municipal que houvesse esta suspensão. “Estávamos esperando que a gestão mantivesse contato com as instituições financeiras para suspender estas parcelas, mas os bancos continuaram a cobrar”, afirmou.

Compartilhar:

Veja Mais